» Dinheiro » Finanças Pessoais » Financiamento de carros usados

Financiamento de carros usados

Galeria
Financiamento de carros usados

Ter um carro próprio, há muito tempo deixou de ser um luxo intangível para as pessoas de menor poder aquisitivo. A queda da taxa básica de juros e a variedade de instituições que oferecem o financiamento de bens de consumo duradouro facilitam ainda mais para que o sonho se torne realidade.O financiamento de veículos é um contrato celebrado entre duas partes: o próprio consumidor e a instituição financeira que entra como cedente do valor necessário para a compra. Para tanto, esta instituição cobrará juros pelo empréstimo.

Mesmo com todas as facilidades, possuir um carro ainda é um sonho caro. O valor final do veículo é encarecido pela carga tributária que incide sobre os produtos industrializados produzidos no país, embora o governo tome medidas, de tempo em tempos, para estimular o consumo, como a redução de impostos.

Como essas medidas têm abrangência, sobretudo, para veículos 0 km, a procura por este tende a aumentar, o que tem como consequência a queda da demanda por veículos usados e seminovos. Assim, seu preço cai, levando ao aumento de pedidos de financiamento, uma vez que, apesar da já citada melhoria no poder de compra da população, uma pequena parcela tem condição de pagar à vista.

Dificuldade
Fácil
Instruções
  1. 1

    Escolha o modelo do veículo e pesquise em várias revendedoras. Se possível, em regiões diferentes. Pechinchar pode ser, literalmente, um excelente negócio.

  2. 2

    Eleja a instituição financeira que lhe oferecer as melhores condições de pagamento, de acordo com o seu perfil e sua renda. Coloque tudo na ponta do lápis e atente-se ao fato de que as parcelas têm que caber no seu orçamento junto com as outras contas do dia-a-dia.

  3. 3

    Peça a aprovação da ficha cadastral. Normalmente os documentos exigidos são RG, CPF e comprovantes de renda e residência. Se for pessoa jurídica, deverá apresentar contrato social atualizado, CNPJ, faturamento dos últimos 12 meses, três últimos balanços e ficha cadastral dos sócios.

Dicas e AVISOS
  • É interessante observar o potencial de revenda do veículo pretendido. A não ser que o objeto em questão seja peça de colecionador ou tenha um valor sentimental agregado, ninguém quer ficar por muito tempo com ele, pois o seu valor tende a cair com o passar dos anos.
  • Lembre-se que, além dos gastos do dia-a-dia, como contas regulares de consumo (água, luz, telefone, internet), um carro demanda gastos como sua manutenção, estacionamento, impostos como IPVA, seguro e combustível. Verifique se não vai comprometer uma parte importante do seu orçamento.
  • Se puder, dê uma boa entrada. Isso diminui, e muito, o preço final do financiamento. Outra medida que, se possível, deve ser tomada, é pagar duas parcelas por vez (as duas “das pontas” do carnê), pois o pagamento adiantado proporciona um bom desconto na boca do caixa.
Comentários
blog comments powered by Disqus