Como comprovar renda?

Comprovar renda é uma tarefa fácil, mas que exige atenção ao selecionar os documentos. Comprovar renda hoje é tão importante quanto ter o CPF limpo, pois para conseguir crédito em lojas ou conseguir um financiamento você precisará mostrar que terá condições de pagar as parcelas que está assumindo.

Com comprovação de renda você consegue até financiar uma casa, mas sem isso é impossível. Se você é empregado de alguma empresa ou é funcionário publico, comprovar renda é ainda mais simples, pois o seu holerite já serve como comprovante fiscal de renda ou mesmo sua carteira de trabalho. Se você tem imóveis alugados que lhe rendam algum dinheiro, os contratos autenticados em cartório acompanhados pelas escrituras dos imóveis também podem ser consideradas como comprovantes de renda.

Se você é autônomo esse processo é um pouco mais complicado. Se você tem o seu próprio negocio, você deve procurar um contador para estar ciente de quais impostos você deve estar recolhendo. Para financiamento de casas, por exemplo, o Recibo de Pagamento Autônomo tem validade como comprovante de renda se você apresentá-lo junto com outras guias referentes aos impostos que recolheu.

É importante fazer a Declaração do Empregador, nela deve constar as informações sobre o seu negocio, tais como endereço, remuneração mensal, o tipo de serviço prestado, a carga horária e o CNPJ. Dependendo da finalidade dessa comprovação de renda, você pode usar extratos bancário da conta da empresa, para mostrar quanto dinheiro movimenta por mês.

Outra opção é pedir ao seu contador para emitir um Decore (Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos). Basta que você junte documentos que possam comprovar a renda da sua empresa, pode ser notas de compras, pagamentos, recibos, extratos de banco, até mesmo contas de energia elétrica e de água. Apresente esses documentos para contador e peça que ele elabore um livro caixa para você. Com o livro ele emitira o Decore, que servirá como seu comprovante de renda.

O Decore serve para profissionais autônomos, como por exemplo: diarista, jornaleiro, pedreiro, pintor, feirante, vendedor, fotografo, taxista, entre outros. O Decore também serve como documento comprobatório de renda para profissionais liberais, tais como: farmacêutico, enfermeiro, medico, dentista, advogado, jornalista, terapeuta, entre outros.

Abaixo, seguem dicas sobre como comprovar a renda em cada caso.

dinheiro, economias

Comprovação de renda: Trabalhadores Informais

O trabalho informal, tradicionalmente centrado no comércio e nas fabriquetas de ‘fundo-de-quintal’, vem se destacando em áreas como a de prestação de serviços domésticos e as de profissionais da beleza.

No entanto, na hora de aproveitar os lucros, como no financiamento da casa própria ou de um veículo (para passeio ou para ampliar o comércio) o trabalhador informal esbarra na dificuldade de comprovar a renda.

A comprovação da renda é garantia também de mais crédito, de previdência social, fundo de garantia, etc. Porém saiba que a renda pode ser comprovada até através de comprovantes de movimentação financeira dos últimos três meses.

Para os trabalhadores informais comprovarem renda é necessário que procurem as instituições financeiras onde tem contas (correntes ou salário) ou fazem quaisquer tipos de investimentos, e obtenham os extratos de movimentação financeira. Por exemplo, os estratos das contas, os comprovante de depósitos mensais, as faturas de compras com cartão de crédito, declaração anual de rendimentos, etc.

É importante frisar que os comprovantes devem ser de no máximo três meses, a menos que sejam solicitados os comprovantes anteriores.

Poderão ser utilizados como comprovantes de renda os recibos do aluguel, canhotos dos carnês pagos, ou quaisquer outros comprovantes (notas fiscais) de compras realizadas, relação de gastos mensais (água, luz, telefone e outros).

Caso o trabalhador tenha família e, sendo necessária a comprovação de renda do cônjuge, as recomendações acima citadas valem também para tal fim. Deve-se dar atenção às contas conjuntas e poupanças.

Lembrando que, nesse caso é importante comprovar a convivência do casal, seja por meio da Certidão de Casamento ou da Declaração de União Estável.

Sendo o cônjuge trabalhador assalariado, basta que sejam apresentados os três últimos demonstrativos de pagamento, ou a carteira de trabalho, ou declaração de imposto de renda com recibo de entrega, declaração assinada do empregador contendo nome da empresa, CNJP, inscrição no Estado, horas de trabalho, cargo ocupado, valor pago e data da emissão.

Outra maneira de comprovar a renda, seja do trabalhador informal ou do seu cônjuge, é a chamada DECORE – Declaração de Comprovação de Rendimentos ou Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos.

Neste caso, basta que o trabalhador junte os comprovantes de movimentação financeira (como os comprovantes citados) e leve-os a um Contador – devidamente habilitado.

O contador elaborará um Livro Caixa constando as despesas e rendimentos que vale como comprovante de renda informal (e somente como informal) para pessoa física.

Com isso em mãos poderá ser deduzida a renda da pessoa, abrindo novas portas ao crédito, ampliando o negócio, gerando maiores lucros.

Comprovação de renda: Autônomos

É considerado autônomo aquele trabalhador que presta serviços usando suas habilidades manuais, técnicas ou intelectuais sem qualquer tipo de vínculo empregatício ou qualquer subordinação hierárquica, ou seja, é aquela pessoa que trabalha por conta própria. Nesta situação torna-se uma tarefa difícil comprovar renda, seja para conseguir crédito ou para simplesmente abrir conta em banco, sendo que não há salário fixo ou qualquer tipo de comprovante de pagamentos vinculados a qualquer empregador. Confira as dicas e saiba como comprovar sua renda mesmo sendo autônomo.

Em primeiro lugar, como autônomo, você deve ter um controle mínimo de seus gastos e recebimentos. Registre tudo e elabore um comprovante de recebimento para que o contratante reconheça o compromisso. Anexe sempre aos contratos de prestação de serviço o comprovante do depósito efetuado para pagamento. É importante que você coloque no contrato de trabalho/prestação de serviços seus dados, a natureza do serviço prestado e o tempo dedicado ao trabalho. Os dados do contratante também devem ser completos.

Verifique com o solicitante dos comprovantes quais as alternativas existentes. Atualmente é possível comprovar renda com extratos bancários, comprovantes de compra em débito ou crédito, carnês (desde que tenham mais de 50% dos pagamentos cumpridos), imposto de renda (se declarante), comprovantes ou recibos de pagamentos recebidos e carta ou declaração de pagamento por prestação de serviços. No caso dos comprovantes e extratos, é necessário reunir os emitidos nos últimos três meses no mínimo.

Procure um contador ou contabilista e peça seu conhecimento técnico para organizar seus recebimentos. Ele poderá emitir um Decore, que é uma declaração sobre seus ganhos. Além disso, este profissional dará as orientações necessárias quanto aos impostos que você deverá recolher. Mantenha o RPA (Recibo de Pagamento de autônomo) sempre em dia. Com ele e as guias de recebimento em dia, você pode comprovar sua renda mensal.

Dicas extras

  • Associe-se a um sindicato, associação ou cooperativa pertinente à suas atividades. Estas organizações podem emitir declarações válidas como comprovante de renda.
  • Caso seus rendimentos excedam a isenção e você pague Imposto de Renda, utilize a declaração para comprovar sua renda.
  • A maior parte dos bancos disponibiliza uma lista de documentos que pode substituir o holerite quando há necessidade de comprovar renda.
  • Sempre que apresentar um comprovante de renda, esteja ciente de não vincular pagamentos em aberto ou valores maiores que os reais. A fidedignidade dos dados é imprescindível para a aceitação do documento.
  • Uma instituição deve aceitar comprovantes alternativos em caso de trabalhadores autônomos ou informais. Exija sempre seus direitos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *